O que é "Upstream"

FrameworksMetodologias

Upstream Kanban é a gestão do fluxo estruturado de trabalho para avaliar, preparar e refinar ideias, oportunidades e opções, antes de chegar à etapa de desenvolvimento. Ou seja, de maneira que as tarefas cheguem sem ruído e no refinamento para os desenvolvedores, sem gerar sobrecarga. Assim, os compromissos de entregas são sustentáveis, com menor risco e menos incerteza.

Surgiu com o método Kanban, criado por David J. Anderson em 2010. Ele adaptou o modelo chamado de “Kanban para desenvolvimento de software”, que combina o Lean mindset com a teoria das restrições, transformando-o em uma abordagem enxuta para o desenvolvimento ágil de software. David J. Anderson poderia ter chamando o seu método de qualquer nome, mas, pela forte influência do Lean, acabou adotando o termo “Kanban”. Diferenciamos o método Kanban na escrita com o “K” maiúsculo, sendo o termo “kanban” e o quadro “kanban” com o “k” minúsculo.

Como usar o termo "Upstream" na prática

O Upstream Kanban pode ser usado na gestão de portfólio e estratégia, validando e/ou descartando hipóteses. 

upstream kanban

upstream representação

Olhar para o Upstream pode proporcionar oportunidades de otimização de fluxo.

É possível trabalhar em processos de “triagem” de ideias que podem eliminar demandas antes de irem para o time. Isso gera economia de tempo e, consequentemente, de custo.

Além disso, trabalhar tanto o Upstream quanto o Downstream permitem balancear a capacidade de produção com o ritmo das solicitações, prevenindo desperdícios.

Como funciona essa triagem de ideias?

Avalia-se o valor da ideia para o negócio e qual objetivo ela pretende atingir. No caso de ideias ou objetivos onde se tem muitas dúvidas sobre o que precisa ser construído, criam-se opções de solução.

O objetivo é que essas opções recebam mais especificações enquanto são apenas hipóteses, e evoluam junto com o conhecimento do produto (técnico e de visão de negócio). Enquanto é apenas uma hipótese, essa opção pode voltar às etapas do fluxo ou até mesmo ser cancelada.

É mais barato trabalhar estas incertezas enquanto a demanda é apenas uma hipótese, pois assim que algo começa a ser construído, a mudança de direção ou descarte se torna mais caro. 

Por isso, uma vez no Downstream, deve-se entregar o que foi solicitado o quanto antes dando espaço apenas para refinamento da proposta inicial.

Limitando as opções

É comum encontrar nos quadros de Upstream limites mínimos para a quantidade de opções, diferente dos quadros de Downstream, que costumam utilizar um limite máximo em suas colunas.

Esse limite mínimo serve para garantir que existam opções suficientes para validação. Algumas das opções serão descartadas durante o processo e outras permanecerão por fazerem mais sentido na solução do problema proposto.

Nesse nível de maturação, torna-se menos custoso realizar ações de prototipagem e detalhamento de requisitos das opções, já que algumas delas já foram descartadas.

Em resumo, faz-se um pequeno esforço inicial para validar as opções disponíveis e, posteriormente, um esforço maior para validar as opções que se provaram mais interessantes.

Conteúdos sobre o tema

Confira alguns conteúdos gratuitos para aprender mais sobre Upstream:

Você tem vontade de elevar a barra em Produto no Brasil?

A PM3, contando com a ajuda da comunidade, está construindo o primeiro Glossário de Produto do Brasil e você pode fazer parte disso!

Ficou com vontade de ajudar também?

Clique aqui e registre sua colaboração. Ah, nós sempre damos os devidos créditos às pessoas. 😉