O que é "Waterfall"

Metodologias

Definição

Waterfall, ou Metodologia Waterfall, refere-se ao termo em inglês para cascata. No universo do desenvolvimento de produto, ele designa um modelo sequencial para a criação de software. Trata-se de um conjunto de etapas que são seguidas de forma vertical, de cima para baixo. A ideia é seguir cada etapa, sem voltar para a anterior, o que prejudicaria o resultado final. 

Assim, no topo da cascata, as decisões sobre o desenvolvimento do projeto são feitas por um gestor e repassadas às equipes, sem que haja um alinhamento muito claro entre elas. 

A partir disso, o time desenvolve o software, mas sem necessariamente considerar os clientes no processo, como acontece com as metodologias ágeis, por exemplo. 

Por mais que a método Waterfall cumpra um papel no gerenciamento de projetos, muitas vezes, ela pode não ser o método mais eficiente para evitar retrabalho, atrasos e custos.  

 

Origem do termo

A metodologia Waterfall começou a ser utilizada para o desenvolvimento de software na década de 1970, se tornando uma das formas mais tradicionais para o gerenciamento de projetos e a redução de custos. Ele vai abranger fases básicas que são: planejamento, execução, validação e entrega.

Mas com as metodologias ágeis, que ganharam força a partir de 2001, com o Manifesto Ágil, o Waterfall perdeu popularidade frente à eficiência e à rapidez do Agile

Como usar o termo "Waterfall" na prática

O Waterfall pode ser aplicado em projetos em ambientes controlados, de menor complexidade, de curta duração, que tenham etapas muito bem definidas e que não necessitem de mudanças frequentes, para não comprometer a qualidade ou os recursos investidos.

Por isso, antes de adotar o Waterfall como método, é preciso avaliar qual o projeto em questão e analisar outras possibilidades de gerenciamento, como as metodologias ágeis. 

 

Framework para Waterfall

A metodologia Waterfall costuma ser dividida em algumas etapas, embora as empresas possam adaptar o modelo aos seus processos: 

  1. Concepção e documentação: este é o momento de definir o escopo do projeto e de avaliar as condições para sua execução, reunindo as informações necessárias para a tomada de decisão. Esses dados envolvem necessidades dos clientes, expectativas dos stakeholders, pesquisas de mercado e custo-benefício.

  2. Design: esta etapa envolve o planejamento do projeto e a definição de tarefas para alcançar os objetivos. Storyboards e wireframes podem ajudar a visualizar o projeto pronto nesta fase. Além disso, é preciso também estabelecer os prazos para a entrega de cada atividade.

  3. Implementação: nesta fase, você vai construir e testar o software projetado. É o momento de codificar, delegar tarefas, monitorar indicadores e medir o progresso do projeto. Além disso, você deve avaliar a necessidade de mudanças e testar a solução desenvolvida para, finalmente, entregar o produto pronto.

  4. Verificação: este é o momento de finalizar o projeto, cumprir com as obrigações em relação aos profissionais envolvidos e resolver toda a papelada que falta, além de anotar os aprendizados.

  5. Manutenção: esta fase é importante para aparar as arestas do produto e resolver problemas que podem aparecer, como bugs no software.

 

Como desenvolver software, sem ser através do Waterfall? 

Para se aprofundar no tema Agile – e evitar desenvolver software usando Waterfall -, não deixe de ver a aula “Metodologias Ágeis”, do Curso de Product Management da PM3. Nesta aula, o instrutor Fábio Aguiar explica no detalhe o que é um Agile Mindset, além alguns conceitos importantes, como os de Scrum e de Kanban.

Conteúdos sobre o tema

Confira alguns materiais gratuitos para saber mais sobre Waterfall:

 

Você tem vontade de elevar a barra em produto no Brasil?

A PM3, contando com a ajuda da comunidade, está construindo o primeiro Glossário de Produto do Brasil e você pode fazer parte disso!

Ficou com vontade de ajudar também?

Clique aqui e registre sua colaboração. Ah, nós sempre damos os devidos créditos às pessoas. 😉