Como growth conecta com produto?

Por Matheus Clemente.

Resumo: Um produto não é desenvolvido para ficar engavetado na empresa, não é mesmo? A ideia é levá-lo a maior quantidade de pessoas que pertençam ao público-alvo. Para saber como growth conecta com produto, continue a leitura deste post!

Uma boa ideia é o pontapé inicial para o lançamento de um produto. Porém, repetimos: é somente o pontapé inicial. Toda empresa tem como objetivo fazer o seu produto crescer dentro do mercado, o que faz surgir um desafio: como growth conecta com produto?

Para responder essa pergunta, é preciso conhecer a estratégia de lançamento do produto e também as etapas do seu crescimento. Decidimos redigir este artigo para que você as conheça bem e possa fazer o seu produto crescer da forma que deseja. Vamos em frente?

 

O que deve ser levado em conta ao lançar um produto?

O que motivou você a comprar um produto ou serviço pela última vez? Certamente foi para resolver um problema que você tinha, certo? Pois é, o mesmo acontece com o seu público.

Por mais que a sua empresa tenha uma marca muito forte, ou que o seu produto seja muito bem conceituado no mercado, isso não é suficiente para fazer o público comprar, ou até mesmo o seu produto escalar no volume de pessoas que ele pode alcançar.

As pessoas só farão parte da sua base de aquisição a partir do momento em que perceberem o quão útil seu produto é, como ele consegue resolver o problema que elas têm.

Portanto, ao promovê-lo, não se restrinja somente às características do produto e sim ao quão benéfico ele é para os seus usuários.

 

Desenvolva a estratégia de marketing

O primeiro passo ao criar uma estratégia de marketing é levantar quais são os objetivos que são tanto quantitativos quanto qualitativos.

Os objetivos quantitativos estão ligados à geração de receita proveniente das vendas do produto. Assim, para que o retorno do investimento seja positivo, é necessário que um determinado número de usuários façam a aquisição.

Já os objetivos qualitativos estão relacionados a um valor que o produto deve conquistar. Por exemplo: se tornar referência no mercado de atuação.

Para que essas ações sejam feitas de forma efetiva, é preciso realizar um planejamento de marketing em primeiro lugar.

Ele deve envolver o público que você quer atingir, formado por pessoas que tenham real interesse em adquirir o produto, a forma de comunicação com esse público e as peças utilizadas para atingi-los. Mas, antes é preciso escolher os canais certos.

 

Como escolher os canais de marketing?

Os canais são aqueles em que o seu público está inserido. Algumas empresas pensam que uma ação de marketing efetiva envolve todos os canais possíveis e imagináveis, mas isso é estrategicamente errado.

Afinal, de que vale investir tempo e dinheiro no Instagram, por exemplo, se as pessoas interessadas no produto não estão massivamente nessa rede social?

Portanto, ao compor o planejamento de marketing, é preciso analisar em quais canais os possíveis compradores estão para que estratégias dentro deles sejam traçadas.

Assim, as chances de conversão do número de pessoas atingidas em usuários do produto serão bem maiores.

 

Mas, afinal, como growth conecta com produto?

Como growth significa crescimento, esta etapa envolve os passos necessários para fazer o produto crescer, e o primeiro passo para isso é entregar o valor certo para as pessoas que irão usá-lo.

Um Growth Product Manager é essencial para executar esse trabalho. Afinal, enquanto o Product Manager foca no desenvolvimento do produto e em resolver o problema dos usuários, o Gerente de Crescimento de Produto foca em aquisição e entender como entregar o valor certo ao público para que adquira o produto sabendo precisamente como ele conseguirá ajudá-lo.

 

Quais números devem ser considerados? 

Quando falamos sobre crescimento de produto, há quatro pontos que devem ser acompanhados: ativação, aquisição, retenção e ROI. Vejamos agora cada um.

 

Ativação

Nos dias de hoje, as pessoas são muito cuidadosas na hora de comprar alguma coisa. Afinal, a concorrência aumenta a cada dia de maneira que as ofertas também se tornam maiores. 

Por essa razão, muitos produtos têm aderido aos formatos freemium ou trial para que o público possa experimentá-los gratuitamente a fim de tomar uma decisão de compra mais assertiva. 

Assim, o número de usuários ativos deve ser acompanhado constantemente. Mesmo que se trate das pessoas que usam a versão gratuita, eles são muito importantes, pois estão mais próximos da aquisição. 

 

Aquisição

Quando os usuários realizam a compra do seu produto, consideramos que eles foram movidos para a fase de aquisição dentro da sua pirâmide de monetização.

Caso você ofereça uma versão free ou trial, é essencial dividir os clientes pagantes em dois grupos: aqueles que usaram a amostra primeiro e os que realizaram a compra diretamente.

É comum que as pessoas usem o produto primeiro para, somente depois, investir na sua versão final e completa. Contudo, os clientes que vão direto para esse estágio devem ser analisados para saber qual valor eles viram a ponto de fazê-los tomar tal decisão.

Dependendo da resposta, suas próximas ações de marketing podem tomá-las como base para serem mais efetivas. Por exemplo: se a maioria dos clientes disser que comprou por conta da dica de um influenciador, investir nele pode fazer a conversão de aquisição aumentar ainda mais.

 

Retenção

Não importa qual seja o seu nicho de atuação, uma informação é certa: reter clientes é muito mais barato do que adquiri-los. Por isso, mantê-los engajados na sua base é essencial.

Além disso, uma vez que os clientes estão retidos, torna-se mais efetivo fazer ofertas de outros produtos ou funcionalidades do seu catálogo, aumentando as chances de upsells.

Além do mais, os clientes que estão na base e satisfeitos com a eficiência do produto ficam mais dispostos a indicá-lo a outras pessoas como familiares e amigos, aumentando a receita. E por falar nisso...

 

ROI

O retorno de investimento - mais conhecido como ROI, sigla de Return On Investment - é uma das métricas mais importantes para medir o growth do produto.

Como você pôde conferir, muitas ações envolvem o desenvolvimento do produto e o seu crescimento. Claro que isso requer investimento e seu retorno em receita precisa ser maior.

Para fazer o cálculo do ROI e saber a porcentagem do seu retorno, esta é a fórmula:

ROI = ((retorno do investimento - custo do investimento) / custo do investimento) * 100

Por exemplo: se você investiu R$ 25 mil e teve um retorno de R$ 35 mil, o ROI é de 40%.

Agora que você sabe como growth conecta com produto, é hora de colocá-lo em prática! Mas, fazemos um adendo: embora muitas empresas pensem que o funil de vendas é o método necessário para acompanhar o crescimento de um negócio, isso não procede!

Para saber por que dizemos isso, confira agora este artigo que escrevemos sobre os growth loops para escalar a sua empresa!

 

Que tal conhecer mais sobre growth em produtos digitais?

Se quer se tornar um expert em crescimento exponencial de produtos digitais, baixe a ementa do nosso curso de Growth (Product Growth) e aprenda em +40 horas de conteúdo, com instrutores de empresas como OLX, Maxmilhas, Singu, Lopes Corretora, VTEX, Xerpa, entre outras grandes Tech companies brasileiras. Aprenda na prática com eles! 

Que tal trazer mais transparência para as iniciativas que vão impactar a vida dos seus clientes? Confira nosso Framework de Go-To-Market!

Elimine o vácuo na comunicação entre os times de produto, vendas, suporte, marketing e leve valor de verdade para o seu cliente.

Mais conteúdos para te ajudar a ser um(a) PM melhor:
Ver todos os conteúdos do blog

Torne-se um PM completo(a)!

Faça como os mais de 2.500 alumni, estude nos cursos que são referência na educação em Product Management no país, e eleve a barra em Produto!

Close