Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
3 de março de 2021

Product Operations: Um papel fundamental em empresas product-led growth

No e-book The Rise of Product Ops, produzido pelo Pendo em parceria com Product Collective, é relatado que, de acordo com o LinkedIn, existem quase 5.700 usuários com um título de Product Operations (+8% YoY) e, ainda, houve um aumento de 80% de usuários do LinkedIn com skill de Product Operations de 2018 para 2019. Por que será que ninguém fala sobre isso na mesma proporção que estão falando sobre Product-Led Growth?

Em organizações product-led, o produto é o ponto focal para cada estágio da jornada do cliente e as operações de produto são essenciais para a otimização dessa experiência (Paxton, 2021).

Neste sentido e reconhecendo que o gerenciamento de produtos passou de um campo pouco conhecido a um key-driver dos resultados do negócio, é evidente a evolução das atribuições e responsabilidades do Product Manager (PM) a fim de construir produtos digitais que atendam com eficiência as necessidades dos usuários.

Com essa expansão do escopo de funções, cada vez mais orientadas à dados baseando-se no comportamento do usuário, algumas tarefas básicas acabaram perdendo a atenção necessária prejudicando o alinhamento, a comunicação e os processos em torno da estratégia de produto.

Neste contexto, surgem as Operações de Produto / Product Operations / Product Ops.

Por ser uma área ainda em desenvolvimento, pouco difundida no mercado – principalmente no Brasil -, e pelo fato de cada time, produto ou negócio ter necessidades específicas, as responsabilidades deste papel variam muito em diferentes empresas, sendo definidas de acordo com o que é mais importante para o modelo de negócio.

Em linhas gerais, a equipe de Product Operations se concentra em alinhamento, comunicação, processos e escala, garantindo um trabalho colaborativo de sucesso entre todas as equipes conectadas ao ciclo de vida do produto. Isto é, as Product Ops apoiam o time de Produto a fim de torná-lo mais eficiente, fornecendo dados para ajudar os gerentes de produto a tomar decisões mais data-driven, facilitando a comunicação, garantindo o alinhamento entre todos os stakeholders, simplificando processos e gerenciando dados e ferramentas de modo a assegurar que a organização do produto esteja equipada para escalar e crescer de forma consistente e com baixo atrito.

Segundo o texto Product Management 101: Product Operations (Product Ops), em Product Craft:

As equipes de operações de produto eficazes aceleram os ciclos de feedback, aumentam eficiências e melhoram a adoção de recursos.

Já para a Marcela Santana, em seu artigo O que é Product Operations (Product Ops), aqui no Blog da PM3:

Product Operations trata-se de um time facilitador que tem a visão sistêmica da estrutura de produto e seu principal objetivo é aumentar a performance dos times, integrando as áreas de produto, engenharia e customer success para que todos caminhem na mesma direção.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Product Operations em empresas que já contam com essa estrutura

De acordo com pesquisas realizadas por Riley Bingham (2019), da Gusto, com líderes que implementaram a área de Product Operations nas empresas em que trabalhavam, foi possível validar que essa resposta muda de empresa para empresa:

  • No Google, Product Operations é responsável pela comunicação e conexão entre os times de produtos, equipes de atendimento ao usuário e usuários finais.
  • No Facebook, o time de Product Ops impulsiona a qualidade e o engajamento do produto, representando a voz do cliente e comunicando as principais conclusões aos Product Managers e Engenharia.
  • No Airbnb, Product Ops tem uma função mais relacionada à dados. Lá, eles conectam os times de produto com todos os dados que vem dos usuários – seja dos contatos de Customer Experience ou de qualquer outro canal.
  • No LinkedIn, a função de Product Ops é bem parecido com a do Facebook, sendo responsável por melhorar a experiência do usuário através da comunicação e colaboração entre times e representando a voz do cliente.

Seguindo com o que fora relatado no e-book The Rise of Product Ops:

  • Na Uber, cada Product Manager (PM) está alinhado com um Product Operations Manager (POM). Juntos, eles conversam sobre o que desejam construir e, em seguida, o POM lida com algumas das tarefas mais essenciais, como coleta de dados e pesquisa de mercado. Eles mantêm o gerente de produto abastecido com as ferramentas e informações de que precisam para realizar seu trabalho.
  • Na Stripe, o foco principal das Operações de Produto é fornecer valor para o usuário com maior velocidade, focando em três diferentes áreas: fortalecer os ciclos de feedback do produto; operacionalizar produtos; ampliar o conhecimento do produto dentro da empresa.
  • Na Digital Home da Comcast, Product Ops atua diretamente na experiência do usuário, gerando insights sobre essa experiência de ponta-a-ponta.

É importante saber que se não tem uma pessoa ou time dedicado a essa função na sua empresa, então o PM é o encarregado disso tudo.

Key Takeaways:

  1. Product Operations está em alta e quanto mais cedo as empresas começarem a reconhecer isso, melhor para todo mundo (área / empresa / mercado / cliente).
  2. As atribuições e responsabilidades do Product Manager está em constante evolução, assim como os papéis e funções de produto.
  3. Ao invés de prejudicar tarefas padrões do Product Manager e, com isso, comprometer todas as equipes conectadas ao ciclo de vida do produto e a entrega de valor para o usuário, considere ter uma pessoa ou time dedicado a operações de produto.
  4. A função da equipe de operações de produto varia de empresa para empresa. No texto são relatadas as responsabilidades do time em diferentes empresas como Google, Facebook, Uber e LinkedIn.
  5. “Como acontece com qualquer trabalho, as particularidades variam de acordo com a cultura organizacional e as necessidades do negócio. Algumas funções de operações de produto se concentram em resultados de negócios específicos, enquanto outras direcionam seus esforços para a eficiência ou a satisfação do cliente. Mas, no geral, as operações de produto abrangem processos, ferramentas, dados, experimentação e colaboração entre equipes.” (Christine Itwaru, 2019).

Conteúdo originalmente publicado no LinkedIn (clique para conferir as referências).


Quer saber mais sobre a gestão de produtos digitais?

Se quer entrar na área de produto e se tornar um Product Manager preparado(a) para enfrentar o mercado, baixe a ementa do curso referência em produto no país e aprenda com 17 instrutores de empresas como OLX, Nubank, Booking.com, iFood, Creditas, Grupo ZAP, entre outras grandes tech companies brasileiras. 

Mais conteúdos para te ajudar a ser um(a) PM melhor:

Autoria de:

PM3 Lives 25

Newsletter Mensal

E-book Entrevistas PM

Você também pode gostar de ler

No-code para times de Produto

Sem tempo? Os principais pontos: – No-code é menos sobre codar ou não, mas sobre build (feature) vs buy (SaaS). – Categorizar hacks em: front