Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
19 de agosto de 2021

Gestão de produtos e gestão de projetos não são excludentes

Atualmente muito se fala na gestão de produtos digitais como sendo uma prática mais adequada aos desafios para conduzir as iniciativas corporativas. Não é a primeira e nem será a última vez que o mercado descobre maneiras mais apropriadas para se adequar às demandas.

Para dar contexto, aquilo que hoje se coloca como a gestão de projetos “clássica” foi desenvolvida na indústria naval americana, na década de 60, para a construção de um submarino nuclear. Como sempre, tudo evoluiu e essas práticas foram amplamente difundidas na engenharia civil, até que a engenharia de software abraçou a ideia de forma mais forte, especialmente na década de 90.

É importante dizer que essa gestão de projetos (muito representada pelo Project Management Institute em seus guias) nada mais é que um conjunto de práticas já existentes, que eram testadas, consolidadas e empregadas de uma maneira que permitisse criar uma metodologia que passaria por adequações em vários contextos e negócios diferentes.

Uma evolução, e não uma rejeição

Depois veio a onda dos métodos ágeis, especialmente com a ampla divulgação do Kanban, Scrum e outras que trouxeram, a meu ver, uma evolução na gestão de projetos e não uma substituição. O contexto dessa época buscava resolver problemas que estavam intimamente relacionados à engenharia de software. Não se falavam em produtos digitais como os conhecemos hoje.

Novamente a evolução trouxe novos desafios para os mercados e o exponencial crescimento das plataformas e produtos digitais obrigou, novamente, uma readequação da forma com a qual as iniciativas corporativas eram conduzidas e daí vem o “termo da moda”: Transformação Digital. Dentre outras questões ela trata a  Gestão de Produtos Digitais como uma disciplina que engloba diversos conceitos que nos ajudam a ter sucesso nos empreendimentos e lidar com problemas cada vez mais complexos.

Algumas ideias são releituras, algumas  são inovações, mas no fundo são sempre formas de pensar em resolução de problemas de forma estruturada e que direcione os desafios atuais.

A evolução nas perguntas de negócio

  • Década de 60

Alguns anos de trabalho pela frente para construir algo físico e absurdamente caro – Pergunta: Como não se perder no caminho e seguir rigorosamente um plano?

  • Décadas de 80 e 90

Temos alguns meses para resolver os problemas locais e mantermos a competitividade – Pergunta: Como trazer previsibilidade para o desenvolvimento de software?

  • Década de 2000

Precisamos ganhar escala e velocidade com a maioria das iniciativas envolvendo tecnologia. Pergunta: Como garantir agilidade e adaptação em um cenário global, de trabalho intelectual e com mudanças frequentes?

  • Década de 2010 em diante

Necessidade de escalar as plataformas e produtos digitais com dados em quantidade inimaginável até então, e com 3 semanas para atender demandas dos usuários. Pergunta: Como aprender rápido com ênfase em fazer a coisa certa, mais do que da forma correta?

A gestão de produtos cada vez mais dinâmica 

Pode-se perceber uma evolução que acontece em períodos cada vez menores de tempo. O maior impacto nessa evolução não está nas práticas e métodos em si, mas na forma como as empregamos.

Escopo é escopo desde 1960 até o momento atual, e está presente em todas as ferramentas: técnicas, frameworks e processos (por vezes com nomes diferentes). A questão é não se apegar à prática em si, mas especialmente entender como pensar a respeito da pergunta de negócio que precisa ser respondida.

Para fechar e ainda usando o tema Escopo (só para ajudar na referência), pode-se dizer que a disciplina de Gestão de Produtos não “joga fora” tudo o que aprendemos em gestão de projetos e sim coloca uma lupa, um mindset, uma forma de pensar e agir diferente. E o escopo continua lá, sendo entregue!

Domine Product Management!

Reunimos os melhores especialistas em produto do Brasil para compartilhar um conhecimento linear com cases reais do nosso mercado. Desta forma, você receberá uma formação no contexto do mercado em que atuamos, aprendendo com cases de quem realmente faz acontecer hoje em produto no no país.

Aproveite e confira já a ementa completa do curso e veja como ele se encaixa no seu momento atual de carreira!

Curso de Product Management
Mais conteúdos para te ajudar a ser um(a) PM melhor:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler