Arthur Brackmann Netto

Arthur Brackmann Netto

9 minutos de leitura

Se você está aqui, provavelmente já passou pelas listas típicas de recomendação de livros para Product Managers. Você já leu o “Inspired” do Cagan, passou pelo “Continuous Discovery Habits” da Torres, fez anotações em “Escaping the Build Trap” da Perri e está cansado de ouvir falar do “Lean Startup” do Reiss. Você também pesquisou por “produto”, “gestão de produto” e “gerente de produto” nos sites de livrarias e se deparou com livros como “The Product Book“, “The Lean Product Book“, “My Product Management Toolkit“, e assim por diante.

Em algum momento, esses livros começaram a parecer iguais. Você já sabia como as palavras soariam. Obsessão pelo cliente, estruturas de priorização e gerenciamento de stakeholders não mudam muito de livro para livro.

Então, você pode ter procurado uma lista de livros de outra disciplina. Gerência e liderança são tópicos que ranqueiam alto nos gostos de Gerentes de Produto, por razões óbvias. “As cinco disfunções de uma equipe”, “Empowered” e “The Making of Manager” podem estar na sua estante de livros ou lista de desejos. Vendas e marketing também fazem parte das listas de leitura de Gerentes de Produto. Como resultado, você conhece o conteúdo de “Predictable Revenue“, “Traction” e outros livros relacionados.

Finalmente, há todas aquelas listas de livros de UI e UX. “The Design of Everyday Things” já cruzou seus olhos mais de uma vez. Aquela capa amarela do “Hooked” está em todo lugar quando que fala de UX. E “Don’t make me think” é mencionado em metade dos vídeos do YouTube que você assiste sobre UI.

Certamente parece que as listas de livros para gerentes de produto ainda são as mesmas desde 2010 e permanecerão as mesmas até o fim dos tempos. Isso é desagradável se você já os leu. Você se sente preso. Mas também é agradável se você está apenas começando. Esses livros estão se tornando clássicos e toda disciplina precisa de alguns clássicos para construir sua base. A gestão de produtos não é diferente.

Se você não leu, ouviu podcasts ou assistiu a vídeos do YouTube sobre os clássicos, deveria. Embora repetitivos, eles constroem as bases da prática de GP. Então, apenas passe por alguns desses diagramas de livros para gerentes de produto que você pode encontrar online:

guia visual de livros para Product Managers
Fonte: Delibr | Clique para ampliar

Por outro lado, se você já leu a maioria deles e está procurando novas perspectivas, pode ser hora de olhar para além das listas de best-sellers e da seção de negócios das livrarias. Na verdade, quero oferecer recomendações que estejam realmente distantes do mundo tecnológico e empresarial. Eu nem mesmo quero recomendar livros de psicologia, pois eles já se tornaram um clichê no ambiente de startups. Também não vou sugerir best-sellers. Minhas recomendações são de áreas como história e filosofia da ciência, escrita e história acadêmica do mundo dos negócios.

1. Thomas Kuhn — A Estrutura das Revoluções Científicas

Thomas Kuhn — A Estrutura das Revoluções Científicas

Na década de 1960, Thomas Kuhn causou um grande impacto na comunidade de história e filosofia da ciência. Até a publicação de sua obra “A Estrutura das Revoluções Científicas“, filósofos da ciência descreviam a evolução da ciência como acumulativa. Novas ideias sempre levavam a melhorias no cenário científico e a evolução ocorria de forma suave em sua visão. Kuhn desafiou essa ideia. Ele propôs que a ciência intercala períodos de ciência normal (ciência acumulativa) e de crise. Após a crise, surge um novo paradigma científico e o anterior é descartado. Seu exemplo mais citado foi o período transformador da astronomia ptolemaica para a copernicana.

Gerentes de Produto deveriam ler este livro fundamental sobre a evolução da ciência para pensar de forma mais crítica sobre o avanço das ideias. Kuhn iniciou a disciplina de sociologia da ciência e inseriu novos fatores de análise na filosofia e história da ciência. Seu livro tornou-se o livro de ciências sociais mais citado de todos os tempos. PMs podem encontrar numerosas semelhanças em sua filosofia e história com o processo de desenvolvimento de produtos digitais e inovação.

2. Karl Popper — A Lógica da Descoberta Científica

Karl Popper — A Lógica da Descoberta Científica

Karl Popper foi contemporâneo a Kuhn e participou do debate filosófico do século XX sobre a evolução da ciência com algumas visões interessantes. Ele é percebido como menos radical do que Kuhn, já que fatores sociológicos desempenham um papel menor em suas teorias de desenvolvimento científico. Popper criou o conceito de falseabilidade. Teorias, afirmações e proposições falseáveis são aquelas que podem ser provadas como erradas. Em sua visão, se você não pode provar que elas estão erradas, elas não são afirmações científicas e não há razões para os cientistas estudá-las. Popper era ferozmente contra pseudociências como a astrologia, pois segundo ele elas não eram falseáveis.

Falseabilidade é a mãe das métricas de vaidade. Se nos negócios, métricas de vaidade são aquelas que não valem a pena acompanhar, na ciência, teorias não falseáveis são aquelas que não valem a pena pesquisar. Product Managers poderiam se beneficiar ao entenderem as nuances da falseabilidade e o problema de demarcação que vem com ela, para desenvolver o pensamento crítico sobre quais ideias valem a pena seguir.

3. Leslie Berlin – Troublemakers

Leslie Berlin – Troublemakers

Eu acredito que uma boa história é transformadora e é uma fonte de lições para o futuro. No entanto, o mercado está infestado de estudos de caso superficiais que desorientam em vez de ensinar. A fama vende e, infelizmente, alguns livros se beneficiam disso. Para mim, tornou-se difícil filtrar quais best-sellers foram minuciosamente pesquisados e eu me vejo frequentemente procurando por histórias escritas por acadêmicos. A maioria deles não escreve por dinheiro e pesquisou por anos antes de começar a escrever a primeira linha de seus livros.

Nesse sentido, o livro “Troublemakers”, da historiadora acadêmica Leslie Berlin, é um tesouro em meio a histórias superficiais do Vale do Silício. Cada capítulo tem uma nova história com novos personagens. Berlin conta a história não contada do Vale do Silício apresentando detalhes sobre figuras ocultas como Mike Markkula, Sandra Kurtzig, Al Alcorn e muitos outros. Sua história revela segredos desconhecidos dos anos 70 e 80 no norte da Califórnia. PMs e todos interessados no Vale do Silício se beneficiariam ao aprender as verdadeiras histórias e detalhes ocultos por trás das histórias cotidianas do Vale do Silício que já se espalharam.

4. Jack Hart – Storycraft

Jack Hart – Storycraft

Durante meu doutorado, li vários livros sobre como escrever melhor. Todos eles me ajudaram muito e ainda tenho dificuldade em aplicar algumas das dicas e truques que aprendi com eles. No entanto, aquele que mais me ajudou foi “Storycraft“. Jack Hart escreve sobre como transformar não-ficção em narrativa. Ele apresenta dicas simples e aplicáveis para transformar blocos de texto em uma narrativa agradável.

Gerentes de Produto se afogam em PRDs entediantes, ao mesmo tempo em que são solicitados a serem grandes contadores de histórias para convencer stakeholders. O “Storycraft” de Jack Hart pode ser a melhor referência para aprender como transformar a não-ficção entediante dos PRDs em histórias agradáveis ​​capazes de convencer qualquer parte interessada e manter a equipe motivada.

5. Steven Levitt e Stephen Dubner – Freakonomics

Steven Levitt e Stephen Dubner – Freakonomics

Eu acredito que saber teoria econômica tem um valor imenso para Product Managers. Microeconomia básica, com seus conceitos de utilidade marginal, retornos decrescentes, demanda, oferta, equilíbrio de mercado, entre outros, tem valor cotidiano para qualquer pessoa no mundo das startups. Como economista, eu não poderia fazer essa lista sem pelo menos um livro de economia. No entanto, escolher um único livro de economia não foi uma tarefa fácil.

Portanto, optei por um livro não técnico que já alcançou um status importante como um “democratizador” do conhecimento econômico: Freakonomics. Steven Levitt e Stephen Dubner escreveram um livro descontraído com excelentes estudos de caso que passam por inúmeros conceitos de economia. Com Freakonomics, PMs podem experimentar um pouco do pensamento econômico e entender como ele se aplica aos problemas diários. Freakonomics é uma boa introdução para entender a economia como uma ferramenta para resolver múltiplos problemas, em vez de uma teoria rígida.

Confira também outras listas com indicações de leitura:

Fique por dentro do mundo de negócios e produtos digitais!

Cadastre-se na nossa newsletter mensal e receba atualizações do blog, conteúdos gratuitos e links úteis para otimizar seu trabalho.