Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
21 de dezembro de 2021

Produtos digitais: como aprender mais sobre a área em 2022

Atualmente, as empresas estão cada vez mais investindo em produtos digitais, o que desencadeia uma crescente procura por fontes de aprendizado. Um bom exemplo disso é o interesse pela disciplina de “Product Management”, que definitivamente está em alta. Segundo a ferramenta Google Trends, a busca pelo termo no mundo cresceu + 25% nos últimos 3 anos, tendo se intensificado nos últimos 18 meses — o efeito Covid.

Considerando o momento propício para as  discussões sobre o tema, quem está na área quer aprender mais, trocando experiências com outros profissionais. Por outro lado, quem quer entrar no mercado, busca formas de entender as principais atribuições e skills esperadas para o cargo, além de buscar informações sobre como se candidatar a uma vaga na área. E há demanda: no momento, são mais de 3.000 vagas em aberto divulgadas na última semana no LinkedIn.

A PM3, como escola referência e especializada em gestão de produtos digitais no Brasil, tem o compromisso de manter a comunidade de Produto sempre atualizada sobre o que acontece neste mercado. Por isso, além de disponibilizarmos o Panorama do Mercado de Product Management, conversamos com especialistas do time e profissionais com autoridade na comunidade de Produto para desenvolver este conteúdo. Aqui você vai conferir quais são as tendências para 2022 no que tange aprendizado em gestão de produtos.

Boa leitura!

1. Grupos de Whatsapp/Telegram 

Participar de discussões sobre temas específicos e desafios da área é  uma forte tendência na comunidade. Alguns grupos se destacam, como o Product Mentoring e o CoProduto. No caso do Mentoring, o Victor Almaraz, organizador e Lead Product Manager na Tok Stok, comentou sobre o início da iniciativa:  

A comunidade Product Mentoring começou como uma iniciativa de encontros presenciais para auxiliar pessoas que buscavam a transição de carreira. Em poucos dias já tínhamos mais de 100 pessoas no WhatsApp e rapidamente alcançamos o limite de pessoas no grupo, daí ampliamos pro Telegram também. A tendência para 2022 é buscarmos maneiras de fortalecer ainda mais a comunidade e tornar as discussões ainda mais ricas e úteis a todos.”

O ponto forte de ambos os canais é a comunicação instantânea, que permite uma conversa mais fluida e dinâmica. Uma vez que os profissionais estão animados para trocar experiências, esta opção confere maior liberdade de expressão, eliminando a barreira da distância. 

No entanto, ela ainda é limitada, especialmente no caso do WhatsApp. Isso porque a ferramenta não permite acesso a um histórico de arquivos compartilhados. Além do mais, quem não participa da discussão no momento em que ela acontece acaba perdendo a chance de contribuir. 

Por isso, é fundamental buscar informações de outras formas também!

2. Podcasts 

Outro formato que está caindo no gosto dos brasileiros é o podcast. De acordo com pesquisa feita pela IAB Brasil com cerca de mil pessoas, 76% dos entrevistados em 2021 criaram hábitos e rotinas de consumo de conteúdos em áudio – em 2019 esse número era de 40%. Da mesma forma, segundo uma pesquisa do Ibope Inteligência que utilizou a mesma metodologia, as estatísticas mostram também que o volume de internautas ainda não imersos nessa cultura passou de 32% naquele ano para apenas 10% em 2021.

Naturalmente, a gente também viu mais iniciativas de podcasts na comunidade de Produto em 2021. Dois destaques são o Desenhando Produtos e o Lança Produtos (este último, com foco no tema sobre Product Marketing, também em crescimento). Segundo Josias Oliveira, host do Desenhando Produtos, aprender através de podcasts vai muito além do canal e si:

As pessoas querem formas novas de aprendizado e educação e acho que podcasts em geral cumprem uma função nobre e importante em educar de um jeito não tradicional. Acaba virando uma forma lúdica de aprendizado, como entretenimento mesmo.” Depois de relatar que o número de ouvintes aumenta cerca de 10% mês a mês ele finaliza “Ainda estamos aprendendo a fazer isso, mas já estamos percebendo o quanto isso impacta as pessoas através dos feedbacks que estamos recebendo. Estamos apenas no começo.

Acreditamos que a informação em áudio continuará sendo a favorita de muitos, principalmente pelo fato das pessoas retornarem para os escritórios (mesmo que no formato híbrido). Haverá tempo de deslocamento trabalho – casa e os podcasts permitem otimizar o aprendizado mesmo ao longo desse trajeto ou durante a execução de outras atividades.

Recomendamos também os podcasts Conversa Ágil e Mulheres de  Produto, que são ótimas fontes de conhecimento. Além disso, aqui na PM3 desenvolvemos uma página com todos os principais podcasts na área de Produto que temos disponíveis hoje no Brasil. Assim você pode consultar e encontrar aquele que mais combina com você!

3. Influenciadores 

Acompanhar o dia a dia de quem já está atuando na área ou está entrando no universo de Produto acaba sendo uma ótima forma de se manter atualizado e se aproximar dos produtores de conteúdo do nicho.

Sem dúvida, a pandemia contribui para que as pessoas engajassem e passassem mais tempo online. Segundo a pesquisa TIC Domicílios, o uso da internet no Brasil cresceu de 74% para 81% da população em 2020, o que representa 152 milhões de pessoas. O Instagram, por exemplo, teve um crescimento de 11,3% de 2019 para 2020.

Neste ano, acompanhamos o surgimento de influenciadores com conteúdos bem legais na área de Produto, como, por exemplo, Product by Dani, The Product Land, A Garota de Produto, Karla Rennó e Yas Produteira. Yasmin destaca:

“Além de tornar a área de Produto conhecida e acessível para mais pessoas, nosso trabalho é importante para possibilitar trocas de experiências e mostrar a realidade das pessoas que atuam nesse meio, incluindo dificuldades e desafios. Espero que em 2022 essa rede esteja ainda maior, com mais pessoas compartilhando conhecimento e se apoiando cada vez mais!”

Khyani Miranda, Content Marketer e responsável pela gestão das redes sociais da PM3, comenta que o formato de conteúdo nessas plataformas tem uma aceitação muito grande por parte do público, fato que os números comprovam:

“Em 2021, aumentamos a nossa base de seguidores nas redes sociais em mais de 250% e tivemos mais de 2 milhões de alcance nos posts da PM3! Acredito que as pessoas gostam desse formato de conteúdo, pois conseguem aprender de maneira rápida, leve e dinâmica.  É bem nítido que o interesse pela área de produtos digitais segue aumentando cada vez mais, trazendo pessoas de diversos backgrounds que querem saber sobre o assunto.”

4. Comunidades de produto 

Diferente dos grupos no Whatsapp e Telegram, as comunidades acabam tendo um ambiente mais organizado, como se fosse um grande fórum de discussão. Circle, Slack, Discord, as plataformas são muitas. O grande diferencial e ponto forte delas é a possibilidade de organizar as discussões em “canais”, ou seja, sessões temáticas que facilitam a busca por informações e debates específicos.

Ao estudar conosco, alunos e alunas têm acesso à Comunidade PM3 no Circle, que conta com mais de 2.000 membros ativos. Segundo a Iona Chaves, nossa Community Manager e Squad Lead, o crescimento de usuários ativos mensais (o famoso MAU) cresceu 70% nos últimos 6 meses. Isso se deve ao esforço de toda a equipe, que acompanha as discussões e cria iniciativas que possam conectar tudo que é compartilhado ali dentro, alimentando uma comunidade viva e que evolui em conjunto:

“Orientamos o desenvolvimento de todas as iniciativas da Comunidade PM3 às necessidades dos nossos alunos e alunas. Fazemos um processo contínuo de pesquisa e escuta ativa dos membros para a construção cuidadosa de experiências ao vivo, práticas e conteúdos exclusivos que estejam alinhadas com temas atuais do mercado de Produto e com as demandas dos participantes. Os encontros e os fóruns conectam pessoas de diferentes partes do país, níveis e contextos da área de Produto, onde elas trazem os desafios do dia a dia para que a Comunidade opine, contribuindo para a construção constante de repertório de todos e desenvolvimento contínuo destes profissionais. Aqui a gente eleva a barra juntos!” 

Outro exemplo é a comunidade Mulheres de Produto, no Slack. A proposta é promover o desenvolvimento e a capacitação profissional de pessoas que se identificam como mulheres e que estão buscando ingressar ou se especializar no mercado de Produto, reduzindo a desigualdade de gênero. Talita Morais, Vice-Presidente da iniciativa, comenta:

“A comunidade surgiu do incômodo de vermos tão poucas mulheres na área de Produto em 2018. Depois de mais de 3 anos no ar, vejo ainda a importância desse espaço de troca e conhecimento sem julgamentos para que as mulheres ocupem mais espaços no mercado de produtos digitais no Brasil.”

5. Eventos e meetups 

Ainda com tantas incertezas, poucos se arriscam a dar uma resposta exata sobre como a economia irá se comportar em 2022. Em uma entrevista ao portal Terra, Denis Nicolini, empresário do RÉVEILLON BSM, comenta que, passados quase dois anos, o mercado do entretenimento volta a ficar movimentado no país. 

Após um longo período de restrições e confinamento, os brasileiros estão ansiosos para voltar a curtir grandes eventos. Prova disso, os ingressos para shows estão se esgotando em uma velocidade impressionante“.

Pelo visto, isso é verdade. O Rock in Rio 2022 vendeu 200 mil ingressos antecipados, e o Lollapalooza não tem mais ingressos disponíveis, segundo os organizadores.

Na área de produtos digitais, essa também é uma tendência. Segundo Raphael Farinazzo, um dos organizadores do Product Camp —  maior evento de Produto da América Latina —  e do Product Stars, as expectativas para 2022 são de recuperação:

 “As últimas duas edições do Product Camp e do Product Stars foram online, mas a mensagem que mais recebemos é ‘quando vai ter o presencial?’. As pessoas querem ter contato e trocar olho no olho. Estamos bastante otimistas para fazer as próximas edições, de ambos os eventos, acontecerem presencialmente.

Além disso, os meetups sempre fizeram parte da rotina da comunidade de Produto antes da pandemia. São encontros casuais dentro dos escritórios das empresas, cujo intuito é discutir um tema específico ou apresentar um case bacana. Ao que tudo indica, eles também vão voltar com tudo!

6. Newsletters 

Como forma de estreitar o relacionamento com a sua base de seguidores/fãs, muitas marcas desenvolveram em 2021 suas próprias newsletters. Segundo Beatriz Guarezi (instrutora do Curso de Product Marketing e criadora da newsletter Bits to Brands), 2021 foi o ano em que “assine a newsletter” foi o novo “arrasta pra cima“. 

“Em janeiro a Forbes anunciou a sua própria plataforma de newsletters; em fevereiro, o Twitter integrou newsletters aos tweets através da compra da plataforma Revue; também em fevereiro o Hubspot comprou a newsletter The Hustle; o Tiago Leifert anunciou a  sua própria newsletter e o Substack comemorou a marca de 1 milhão de assinantes pagos dentro da sua plataforma.

A PM3, desde 2018, tem uma newsletter muito forte, com disparos mensais com novidades sobre o mundo de Product Management. Após um trabalho consistente, hoje somos a maior newsletter na área de Produto no Brasil, com mais de 32 mil pessoas inscritas. Aprender por meio de uma boa curadoria é uma das práticas que deve bombar ao longo de 2022. Para se inscrever na newsletter da PM3 só clicar aqui.

Para uma newsletter foada em Product Marketing, Growth e Empreendedorismo, a gente recomenda a Product Marketing Sem Filtro do nosso CMO Bruno Coutinho, que é publicada quinzenalmente no Linkedin.

7. Cursos 

Mencionamos, logo no início deste texto, sobre o crescimento do mercado de Product Management. Isso acaba atraindo outras escolas e iniciativas esporádicas, que buscam transmitir conteúdo e surfar na onda da demanda.

Segundo o CEO da PM3, Marcell Almeida, a intensa busca por aprimoramento profissional conquistou novos interessados:

Há dois anos, a grande maioria dos nossos alunos e alunas eram pessoas que já atuavam em Produto e queriam melhorar algumas habilidades específicas. Porém, neste ano de 2021, percebemos pessoas que querem entrar na área, porque as empresas demandam profissionais qualificados e que pensem de forma estratégica.”

Essa busca crescente acaba fazendo sentido, considerando que a PM3, por exemplo, cresceu mais de 150% em relação ao ano anterior.

Hoje, contamos com quatro cursos lançados, são eles: Product Management, Product Discovery, Product Growth e o caçula, o Curso de Product Marketing. Todos contam com um time diverso de instrutores que trazem frameworks e cases reais de empresas como OLX Brasil, Booking.com, Instagram, Creditas, Loft, QuintoAndar, Getninjas entre outras gigantes do mercado.

Os cursos continuarão sendo uma tendência, por serem capazes de garimpar e reunir o conteúdo (mesmo aquele que pode ser encontrado na internet), assim como aprofundar em questões bem complexas da gestão de produtos digitais.

2022 será de intenso aprendizado

Como pudemos ver ao longo deste artigo, opção para buscar informação e conteúdo sobre Produto é o que não falta. O mercado está aquecido, há demanda e sede de aprendizado. 

Cada uma das alternativas atende a diferentes públicos e perfis, mas vale a pena se envolver com o máximo de possibilidades, buscando aproveitar o melhor de cada fonte de conhecimento. 

A PM3 vai seguir contribuindo com a comunidade, somando e indo além do que entregamos em 2021. Vamos elevar a barra juntos em 2022?

Continue lendo sobre produtos digitais:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler