10 de junho de 2022

Análise SWOT: o que é e como fazer na estratégia de produto

A Análise SWOT é uma ferramenta estratégica muito utilizada por empresas, especialmente aquelas que desenvolvem produtos digitais. Afinal, ela ajuda a identificar as forças, fraquezas, ameaças e oportunidades do negócio a partir de um estudo aprofundado de fatores internos e externos. Além disso, essa estrutura tem uma aplicação muito simples e ainda ajuda a engajar o time na elaboração das estratégias. 

Pensando nisso, trouxemos tudo o que você precisa saber para aplicar a Análise SWOT na sua empresa. A seguir você vai conferir:

  • O que é Análise SWOT
  • Elementos da Matriz SWOT
  • Aplicações da Análise SWOT
  • Para que serve a Análise SWOT em Produto
  • Como fazer Análise SWOT na estratégia de produto

Acompanhe!

O que é Análise SWOT 

A Análise SWOT (ou Análise FOFA, em português) é uma ferramenta de gestão estratégica que se baseia em uma matriz de quatro elementos: Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Sendo assim, essa estrutura considera o ambiente interno e o ambiente externo que influenciam a performance de um negócio. 

análise swot

As empresas utilizam a matriz para entender mais profundamente o próprio negócio e as condições externas que podem impactar os resultados. A partir da Análise SWOT, os gestores conseguem traçar planos de ação mais precisos e com mais chances de sucesso. 

Elementos da Matriz SWOT

Agora, vamos nos aprofundar em cada um dos pilares que compõem a Matriz SWOT para você poder aplicá-la na sua empresa.

Forças

As forças correspondem às vantagens competitivas que a empresa tem, considerando produtos, serviços, pessoal, tecnologias, processos e quaisquer outros recursos que sejam um diferencial do negócio (localização, investidores, parcerias, clientes, habilidades do time, etc.). 

Para isso, você precisa olhar para o ambiente interno da empresa, sobre o qual você tem algum controle. Algumas perguntas que podem ajudar você nesta etapa são:

  • O que nossos concorrentes não estão fazendo e o que nós estamos fazendo?
  • Quais dos nossos produtos mais populares?
  • Quais habilidades do time se destacam?
  • Que tipo de benefícios proporcionamos aos nossos clientes?
  • Quais as funcionalidades que os usuários mais gostam?
  • O ciclo de vida do produto está fazendo sentido internamente?
  • O que o time mais valoriza na empresa?
  • Qual o propósito do negócio? Estamos agindo de acordo com ele?

Fraquezas

Já as fraquezas são o contrário das forças, ou seja, correspondem àquilo que é uma desvantagem do seu negócio em relação aos concorrentes e que pode trazer prejuízos para a empresa, como baixa qualificação da equipe, falta de inovação, processos ultrapassados ou pouco eficientes, entre outros. 

Nesta etapa, você também precisa olhar para o ambiente interno do negócio e vale se perguntar:

  • O que nossos concorrentes estão fazendo que nós não estamos fazendo?
  • Quais são as principais reclamações dos nossos clientes?
  • Há algum produto que está trazendo prejuízos financeiros ou que não tem um bom ROI (Retorno sobre o investimento)?
  • Quais são as fraquezas do time e quais habilidades precisam ser melhoradas? 
  • Quais métricas de produto não estão boas?
  • Como estão os índices de avaliação do produto em sites especializados?
  • Que tipo de insatisfações do time podemos identificar em relação a processos e outros recursos internos?

Oportunidades

As oportunidades são criadas pelo ambiente externo e correspondem às possibilidades de atuação da sua empresa com potencial de ganhos, como leis específicas, fatores econômicos (inflação, flutuação do dólar, valorização do real, redução de impostos e etc.), políticos, ambientais, entre outros. 

Por mais que você não controle as oportunidades, é preciso prestar atenção ao ambiente externo para não perder a chance de encontrá-las. Para isso, ficar de olho nas notícias e ter uma boa rede de networking podem ajudar a identificar essas oportunidades. Acompanhar estudos de mercado e sites do seu segmento também é uma estratégia para encontrar oportunidades. 

O time pode ter um canal específico para compartilhar notícias relevantes e que representem oportunidades. Mesmo que essas informações não sejam utilizadas imediatamente, elas ficam no radar de todos. 

Ameaças

As ameaças são o contrário das oportunidades, ou seja, tudo aquilo que compõem o ambiente externo e que pode prejudicar o seu negócio de alguma forma. Da mesma maneira, fatores econômicos, legais e políticos devem ser observados para identificar as ameaças. 

Nesse sentido, é importante acompanhar as novidades do setor e do país de atuação da empresa, buscando o que pode afetar o negócio negativamente, incluindo novos concorrentes. 

Aplicações da Análise SWOT

Por mais que, até agora, tenhamos trazido exemplos da Análise SWOT aplicada a empresas, esse não é o único contexto de aplicação da Matriz FOFA. Essa estrutura também pode ser feita por pessoas físicas. Vem saber um pouco mais sobre o assunto!

Desenvolvimento pessoal

A Análise SWOT pessoal tem o objetivo de identificar fraquezas e forças profissionais, oportunidades de melhoria e ameaças ao desempenho ou às conquistas profissionais. Utilizando a Matriz SWOT, as pessoas têm um direcionamento sobre o que fazer em relação à carreira, buscando desenvolvimento de suas habilidades e crescimento profissional. 

Essa matriz pode ser usada, por exemplo, como uma preparação para uma entrevista de emprego, em que os recrutadores costumam perguntar suas forças e fraquezas. Nesse sentido, o autoconhecimento é fundamental para responder às perguntas de forma consistente e original. E a Matriz SWOT pode ajudar muito nesse processo. 

Se você quer utilizar essa estrutura para um objetivo pessoal, vale se perguntar:

Para descobrir as forças:

  • Quais são as minhas habilidades (comportamentais e técnicas)?
  • Como eu me destaco em relação a outras pessoas?
  • O que eu faço de melhor?
  • Quais são as minhas atividades profissionais preferidas?
  • Quais feedbacks positivos já recebi?

Para identificar fraquezas:

  • Quais habilidades outras pessoas da minha área fazem e que eu ainda não faço?
  • O que minha área valoriza que eu ainda não tenho ou não faço?
  • Quais feedbacks negativos já recebi?
  • O que eu não gosto de fazer, mas que é importante para meu crescimento?

Já para identificar ameaças e oportunidades para fazer uma análise FOFA pessoal, você deve prestar atenção aos elementos externos, como taxa de desemprego e oportunidade na área e aquecimento do mercado de trabalho. 

Depois de preencher todas as informações, você deve priorizar o que quer fortalecer ou mudar e criar um planejamento claro, com metas específicas para alcançar em um determinado prazo. Com o tempo e a conquista dos seus objetivos, você pode traçar novas metas para desenvolver ainda mais o seu lado profissional. 

Estratégia de empresas

A Análise SWOT para empresas segue a linha da matriz sobre a qual comentamos no início do artigo. Ela deve ser feita para conhecer a empresa mais profundamente e se preparar para tendências e adversidades, funcionando também como uma ferramenta para embasar a tomada de decisão. 

Ao mesmo tempo, como esse processo exige uma boa dose de dedicação e o comprometimento do time para encontrar respostas e preencher a matriz, não é recomendado utilizá-la em todas as decisões da empresa. Para decisões menos complexas e mais rápidas, não é necessário aplicar esse método, porque isso pode tomar tempo e esforço, que poderiam ser dedicados a análises e decisões mais complexas

Mas há alguns momentos estratégicos do negócio em que a Matriz SWOT é muito bem-vinda, como:

  • Na decisão sobre o lançamento de um novo produto ou serviço; 
  • Ao aprimorar a estratégia de um produto já existente;
  • Para entender se vale a pena migrar ou ampliar a área de atuação da empresa;
  • Ao tomar decisões sobre os processos adotados na empresa;
  • Para identificar a necessidade de contratar mais pessoas para o time. 

Para que serve a Análise SWOT em Produto

A Análise SWOT pode ser aplicada em todas as áreas de uma empresa, inclusive em Produto. Nesse caso, além dos benefícios gerais que a matriz traz e sobre os quais já falamos, essa estrutura ajuda a entender a performance do seu produto no mercado em comparação com a concorrência e a identificar quais pontos da solução devem ser valorizados e quais precisam ser melhorados. 

Além disso, essa análise é uma oportunidade de ficar mais perto dos clientes, para receber feedback sobre as possibilidades de melhoria do produto, assim como de alinhar o time de Produto, já que o ideal é que todos contribuam com esse documento.

A Matriz SWOT faz a diferença na tomada de decisão do time, principalmente em relação ao que deve ser priorizado no backlog e no roadmap de produto (que funciona como um planejamento estratégico das etapas de desenvolvimento da solução). 

Para o posicionamento do produto no mercado, a análise FOFA é bem importante, uma vez que considera fatores internos e externos.  Afinal, você consegue identificar as principais forças do produto e entender o que os concorrentes não estão fazendo e o que a sua empresa faz. A partir disso, o time pode cruzar as informações e criar um posicionamento que evidencie o diferencial competitivo da solução. 

A Matriz SWOT também é uma forma de antecipar tendências e aproveitar o momento para sair na frente da concorrência a partir desse conhecimento. 

Mas, independentemente de como o time for usar esse framework, é essencial que ele compreenda também um plano de ação baseado nas informações da matriz.

Como fazer Análise SWOT na estratégia de produto

Confira 6 passos para fazer a Análise SWOT e personalizar essa matriz de acordo com a necessidade da sua empresa. 

3. Definir um objetivo

Antes de começar a utilizar a matriz, é importante ter um objetivo claro. Por que você está utilizando este framework? O objetivo vai guiar as perguntas e respostas que irão compor a matriz. Esse objetivo pode ser, por exemplo, entender a necessidade da construção de uma nova funcionalidade no seu produto. 

Estabelecer metas logo no início do processo traz mais objetividade para as suas análises, economizando tempo e evitando o desperdício de recursos com análises que não levam a lugar algum. 

2. Engajar o time

Por mais que a Análise SWOT possa ser aplicada em diferentes contextos e áreas de uma mesma empresa, é importante engajar mais pessoas no processo de construção da matriz. O objetivo aqui é trazer mais insumos para as análises, com base em pontos de vista diversos e que podem contribuir para enriquecer a estrutura SWOT. 

Para que o processo seja colaborativo, é importante que todas as pessoas envolvidas saibam exatamente o objetivo da análise. As reuniões de definição da Matriz SWOT devem contar tanto com profissionais especialistas, como generalistas, que têm uma visão mais ampla do negócio. 

Além disso, esse processo pode ser benéfico para aproximar os membros do time e criar um espaço de colaboração entre as pessoas para além de reuniões estratégicas específicas. 

3. Mapear os fatores internos e externos

Agora que você já recrutou as pessoas do time para participar da Análise SWOT, é hora de mapear os fatores internos e externos que compõem a matriz, ou seja, as forças, as fraquezas, as oportunidades e as ameaças do negócio ou do produto. Aqui, você pode utilizar várias estratégias, como:

  • Brainstorming com o time, em que as pessoas vão falando suas ideias sem filtro.
  • Utilizar ferramentas de pesquisa e inteligência de mercado para mapear a concorrência e o segmento.
  • Conversar com clientes e stakeholders para entender o que pode ser melhorado no produto.

4. Preencher e analisar a Matriz SWOT 

Agora, é o momento de preencher a Matriz SWOT de acordo com o levantamento feito na etapa anterior. Aqui, para fazer a análise, você deve cruzar as informações para entender:

  • Como as suas forças podem equilibrar suas fraquezas;
  • Quais forças podem ser utilizadas em cada oportunidade identificada;
  • Como as forças podem ser utilizadas para proteger a empresa das ameaças;
  • Quais fraquezas estão causando um maior impacto no negócio e podem prejudicar as suas forças;
  • Fraquezas que são um obstáculo para as oportunidades;
  • Fraquezas que se alinham às ameaças. 

A partir dessa análise, você consegue ter um panorama dos fatores internos e externos que influenciam os seus resultados e da relação entre eles. A partir disso, fica muito mais fácil tangibilizar esses elementos e trabalhar sobre eles. 

Além disso, você pode criar um documento criativo com a Matriz SWOT, não precisa se prender a modelos engessados. Pelo contrário, o seu time pode criar uma estrutura que tem a cara da empresa. O mais importante é que as informações do documento sejam claras e acessíveis, de modo que qualquer pessoa do time consiga entender a matriz quando precisar. 

Confira alguns templates da Matriz SWOT que podem te ajudar a começar!

5. Priorizar tarefas

Uma vez que os elementos estão dispostos na Matriz SWOT, você tem mais clareza sobre cada um deles. A partir disso, o time consegue analisar as prioridades a partir do impacto daquilo que foi listado durante a análise.

Assim, depois de desenhar a matriz, é importante ter um trabalho de reflexão junto ao time para identificar as prioridades

6. Criar um plano de ação

Depois de ter estabelecido os objetivos e as prioridades, você deve criar planos de ação a partir da Matriz SWOT para melhorar as fraquezas, fortalecer ainda mais as forças, aproveitar as oportunidades e se defender das ameaças.

O objetivo é que os insights gerados pela matriz se tornem ações palpáveis e que possam ser colocadas em prática em um curto período de tempo – visando atingir os OKRs já definidos, por exemplo.

Além disso, uma vez que você tem uma meta e criou um plano de ação para alcançá-la, é fundamental definir KPIs para identificar se está progredindo de acordo com o planejamento ou se precisa reajustar o percurso. 

Confira também outras metodologias e frameworks para a sua estratégia de produto:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler