Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
21 de junho de 2021

5 dicas para validar o preço do seu produto

O preço de seus produtos é uma das decisões fundamentais que você tomará, porque afeta quase todos os aspectos do seu negócio. Mas você sabe quais são as melhores estratégias para validar o preço do seu produto? 

Você já deve ter ouvido que, quando um cliente acha a sua solução cara é porque ele não enxergou valor naquilo que está sendo vendido. 

Neste artigo trazemos 5 dicas para você precificar seus produtos e validar se a sua estratégia de preço é eficiente de acordo com o seu modelo de negócio. Boa leitura!

1. Pesquisa com usuários

Para validar o preço da sua solução, faça pesquisas com seus clientes e prospects. São eles que vão comprar os seus produtos, então, é importante perguntar quanto eles pagariam pelo que você vende.

As pesquisas podem ser feitas por e-mail ou até nas redes sociais, com ferramentas como a caixinha de pergunta dos Stories no Instagram para um primeiro mapeamento. Além disso, você pode entrevistar os usuários por telefone e aproveitar para colher feedbacks sobre a sua solução. 

O retorno constante por parte dos clientes contribui para otimizar cada vez mais o seu produto e, consequentemente, aumentar o preço da solução, se for o caso.  

A partir dessa estratégia, sua empresa consegue saber a visão dos usuários sobre suas soluções e descobrir oportunidades de melhoria no desenvolvimento do produto que justifiquem um preço mais alto.

Além disso, essa pesquisa é importante para entender o valor percebido pelo cliente em relação ao que você vende. Quanto maior for esse valor, melhor. Ao mesmo tempo, se a sua empresa identificar que o usuário não enxerga  muito valor, é preciso tentar aumentá-lo. 

Uma última sugestão nesse sentido é monitorar a forma como seus clientes utilizam o seu produto e a satisfação  deles para entender quais funcionalidades e especificidades eles mais valorizam na sua solução (você pode utilizar o NPS Score, por exemplo). Essa pode ser uma oportunidade para incrementar o seu preço

2. Estudo de mercado

Para validar o preço do seu produto, é interessante realizar um estudo de mercado e analisar a concorrência

Você sabe quanto os seus concorrentes cobram e por que cobram assim? Qual a diferença do seu produto para as outras soluções do mercado? Quais as funcionalidades e a robustez de cada um? Quais dores cada um resolve? 

Essas perguntas servem como parâmetros para validar os seus preços, embora não devam ser o único critério.

É preciso entender qual o seu diferencial no mercado para saber o quanto cobrar por isso. Defina sua Unique Selling Propositions (USP), para mostrar ao cliente por que a sua solução é única e justificar o preço cobrado, quebrando possíveis objeções dos usuários.

Não é recomendável jogar o preço da sua solução muito alto, principalmente se a sua marca ainda não está bem estabelecida no mercado. Ao mesmo tempo,  preços muito abaixo do mercado, ao invés de atraírem clientes, podem afastá-los e causar desconfiança.

Fazer um estudo de mercado é importante para não estabelecer um preço sem qualquer base, se apoiar em referências concretas é essencial, ainda mais se o produto é novo no mercado.

3. Testes de precificação

Uma das melhores formas de validar o preço do  seu produto é testar. É preciso basear seus testes em hipóteses, principalmente se você não tem muita clareza sobre sua concorrência ou se ela é inexpressiva. 

Então, rode testes A/B para entender qual preço é mais atrativo para os clientes, lembrando sempre de recolher o feedback dos usuários

A sua empresa deve colocar diferentes preços para planos, produtos e funcionalidades distintos. Você pode criar produtos com preços similares ou soluções premium e versões mais robustas que vão aumentando de preço. Outra opção é fazer ofertas de acordo com o volume de usuários. 

Para realizar os testes, você pode estabelecer um preço de base que vai se alterando conforme forem incluídas outras funcionalidades na solução ou benefícios no plano. 

Se a conversão do produto mais barato e do mais caro for parecida, você descobre que os clientes estão dispostos a pagar mais caro porque enxergam valor. 

Faça alguns testes até achar um preço justo para os clientes e que traga a lucratividade que você deseja. Ao longo do tempo, você vai ajustando os preços de acordo com as descobertas. 

Por isso, é importante contar com o feedback constante dos usuários, realizar testes com frequência e ter indicadores-chave para sempre acompanhar seus resultados. 

4. Consideração do modelo de negócio

diferentes formas de precificar as suas soluções. Empresas como MailChimp, Slack e Apple seguem diferentes diretrizes na hora de estabelecerem o seu preço, por exemplo.

Se você está lançando um novo produto no mercado, para crescer a receita rapidamente, um modelo eficiente é o de maximizar seus lucros em curto prazo, negociando o maior preço possível  a cada venda.

empresas de hardware como a Apple podem usar estratégias de precificação com o objetivo de ter uma alta margem de lucro

Já para conquistar uma fatia maior do market share, é possível oferecer o produto por um preço menor com o objetivo de atrair mais pessoas para comprarem sua solução e reduzir o atrito para a decisão de compra. 

Esses três modelos aparecem descritos no artigo “There Are Only 3 Pricing Strategies For Your Startup”, de Tomasz Tunguz.

5. Análise das suas finanças

O processo de precificação dos seus produtos passa por uma análise da área financeira do negócio.

É preciso identificar se a sua empresa está tendo lucros com os preços atuais da solução. Esse tipo de análise ajuda a  identificar gargalos e oportunidades de reduzir custos, estabelecendo preços mais competitivos, sem comprometer o seu caixa.

Outro ponto importante é analisar a relação entre o CAC (Custo de Aquisição do Cliente) e o LTV (Lifetime Value), métricas fundamentais para você entender qual pode ser o preço, para compensar os gastos. A ideia é sempre ter um LTV superior ao CAC para manter a lucratividade do negócio a longo prazo.

A sua receita mensal também funciona como um indicativo para entender se a sua estratégia de preço está dando certo. Mesmo se sua taxa de conversão for boa, se o processo de precificação não for eficiente, pode causar prejuízo ou não trazer tanto lucro como poderia. 

Quer se especializar em Product Marketing?

Com o curso da PM3 você irá dominar ferramentas, frameworks e técnicas para se tornar um Product Marketing Manager de sucesso! Baixe a ementa do primeiro curso de Product Marketing do Brasil e aprenda as melhores práticas para conectar Marketing e Produto com cases reais e profissionais de empresas como VTEX, Loft, QuintoAndar, Atlassian (Trello/Jira), RD Station, SimilarWeb, Liv Up e muito mais!

curso de product marketing
Mais conteúdos sobre Product Marketing:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler