8 de fevereiro de 2022

Como eu produtizei a minha carreira?

Querida pessoa de Produto, você costuma definir métricas e objetivos para o seu próprio crescimento pessoal?

Desde que comecei meu trabalho com produto, meu dia a dia tem sido números, objetivos, estratégias, dados, tarefas e qualquer outro clichê que toda pessoa de Produto vive.

A quantidade de horas arrastando post-it no Miro, criando tabelas no Notion e escrevendo tarefas no JIRA já me classificaria como um heavy user dos SaaS de colaboração remota.

Outra peculiaridade de se trabalhar nesse meio é que a galera geralmente é metida a se comunicar (e eu me incluo nessa). São loucos para testar frameworks, rabiscar um protótipo e definir um OKR para o próximo quarter.

Isso é excelente. Pois quanto mais ligado você fica nessa galera, mais rápido você faz conexões de aprendizados.

Como diz meu pai: “esse é o pulo do gato”.

É nesse pulo que o Marcell Almeida, da PM3, e o John Cutler, do Amplitude, se unem para ajudar um jovem produteiro a decolar a sua carreira e, atenção para a visão: ser uma das referências em Produto no Brasil ao final de 2022.

Meu porquê, minha visão convincente

Toda pessoa de Produto sabe como a definição de uma visão de longo prazo ajuda, e muito, a priorizar as oportunidades a curto prazo.

Como eu sou CEO, CPO, CTO, GMP e PM da minha própria carreira, achei justo eu me cobrar uma visão inspiradora, minimamente robusta e duradoura.

Lembrando que toda a visão tem que ter um porquê. Esse porquê pode ser mesquinho ou generoso na quantidade que você quiser. Os meus permeiam um pouco de cada, confesso.

Basta que eles sejam o suficiente para você persistir enquanto tudo continuar a fazer sentido.

Como eu sei que estou indo na direção correta?

É aí que o John Cutler brilhou!

Conseguir definir uma métrica de sucesso primária (North Star Metric) não é trabalho fácil. Porém, como diz o Amplitude, com todo o seu viés e marketing: “Todo produto precisa da sua North Star Metric”. E já que toda pessoa de Produto adora um outcome, fica muito mais fácil acompanhar a evolução das iniciativas.

Participar de eventos, conversas, podcasts, 1:1 ou redação de artigos vai ser a métrica da com a qual vou comprovar que a minha visão está sendo cumprida.

Essa é a primeira vez que estou declarando isso publicamente, talvez a minha métrica de sucesso primária mude com o tempo. Mas, nesse momento, ela faz sentido pois ela tem uma boa relevância, me ajuda em escolhas mais inteligentes e posso medi-la com uma periodicidade bem curta.

Métricas secundárias com as quais posso atuar

É aqui que o Marcell Almeida voou.

Ele, em todo começo de ano, define objetivos e métricas (os famosos OKRs) para evoluir pessoalmente.

Assim como falei no começo, um produteiro é louco para testar e misturar os frameworks. Então, por que não?

Com isso, defini 3 objetivos para esse início desse quarter e, com eles, os seus respectivos resultados-chave.

Disponibilizei tudo aqui. Então fiquem a vontade para copiar, colar, mudar, inverter e bagunçar. É tudo nosso.

O que vou fazer…

Outra coisa que toda pessoa de Produto já cansou de ouvir é que não importa ter a melhor estratégia se falta a gloriosa execução.

Hora de botar a mão da massa.

Essa é a parte fácil da coisa toda: definida as suas hipóteses e as traduza em experimentos rápidos e específicos.

Mas nunca esqueça de verificar se aquilo que você vem fazendo está representando a qualidade única da sua estratégia, se ela continua sendo acessível e compreensível.

Afinal, existem outros aspectos da sua vida que você não quer deixar de lado.

Conclusão

Escolhi por me manter fiel a esse processo por 1 ano. Faz sentido agora, também com a minha visão futura de carreia. Então, vamos ver no que dá.

Como eu falei anteriormente, estou aberto a convites. Então se você, de alguma maneira, se identificou com esse texto, vamos trocar uma ideia! É só me chamar no Linkedin.

Confira também:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler