20 de agosto de 2018

Gestão de Produto: a área que está brilhando aos olhos do mercado

Profissionais focados na Gestão de Produto (Product Managers) estão em falta no mercado, e para os interessados, a oportunidade é agora! A posição estratégica trabalha diretamente com a definição de mercado, público-alvo, proposta de valor e outros pontos cruciais para uma empresa despontar dentro da sua área de interesse.

Para dar o primeiro passo é necessário buscar por seus principais fundamentos.

Gestão de Produto: o que é e qual a vantagem competitiva

A imagem mostra Marcell Almeida e Natalia Arsand, profissionais da área de Gestão de Produto, olhando para um quadro com post-its.

O profissional desta área é responsável por garantir o sucesso de um produto, mas também por fazer a conexão dos objetivos (visão) da empresa com os problemas e necessidades do usuário.

Vejamos o Facebook, por exemplo. Ao dar os seus primeiros passos, a rede social se posicionou como uma plataforma gratuita, mas se pensarmos bem, alguém precisa pagar as contas no final do dia. Foi a partir daí que surgiu um segundo cliente, os anunciantes, que até hoje são a principal renda da empresa de Mark Zuckerberg.

Como boas soluções não aparecem do nada, a gestão de produto é uma junção de habilidades que se complementam. A área de Engenharia arquiteta o que é possível fazer com a Tecnologia; já o time de UX é focado na experiência do usuário, por exemplo, como o público aceita as funcionalidades disponíveis; e o time de Produto vê a viabilidade do que será entregue.

Marketing de Produto vs. Gestão de Produto

Segundo Joaquim Torres, Global VP of Product no Gympass e instrutor do curso da PM3, há quem acredite que Product Marketing e Gestão de Produto são similares. Mas na verdade ambos andam como pares, sendo que o escopo de trabalho para cada profissional (Gerente de Produto e Product Marketing Manager) difere de acordo com o marketing mix, ou seja, os quatro Ps.

O marketing é responsável pelo preço, praça e promoção, trabalha com os possíveis novos clientes. Já o PM centraliza seus esforços no produto, ou seja, mede pontos como a satisfação do cliente – será que ele indicaria para um conhecido, um amigo? Nos dias atuais, recomendações são um dos meios mais eficazes de garantir novos leads.

Produto x Plataforma

Outro fator importante é diferenciar o produto software de uma plataforma. Marcas como a Netflix e o Spotify são exemplos claros: ambos atuam como um software que reúne uma base de usuários em busca de um único objetivo.

Já a plataforma entrega valor de acordo com o número de pessoas que a usam, por exemplo, o Facebook, e é um tanto mais complexa. Existem três tipos de plataforma, a de troca, técnica e conteúdo.

Todas são abordadas e exemplificadas no curso para que você saia por dentro da definição de cada uma delas e como definir o seu produto.

As tomadas de decisões para gestão de produtos

A imagem mostra Raphael Farinazzo, Product Manager na Xerpa, escrevendo em um quadro com post-its.

E onde o Product Manager entra em ação? Há uma grande diferença entre gestão de produtos e uma plataforma. No primeiro caso, o usuário possui o mesmo perfil e não há necessidade da empresa se preocupar com o valor que está sendo entregue. Ele é o mesmo para todos.

Já a plataforma é uma junção de diferentes usuários que não necessariamente estão procurando as mesmas funções, ela é palco de uma reunião de vários tipos de perfis que precisam receber os valores que estão procurando.

O gestor precisa estar atento ao relacionamento que estes usuários têm entre si, afinal, eles conversarão sobre a sua plataforma dentro dela. O intuito é que todos tenham boas experiências para contar, não importa o ponto de vista de cada um deles.

Como podemos inovar?

Mas para percorrer todo esse caminho de estratégias, é preciso olhar a fundo o produto e o seu consumidor. Não há como consolidar um projeto sem identificar em qual fase o produto está, por isso seu ciclo de vida é tão importante.

Torres analisa no último tópico do módulo as fases de inovação, crescimento, maturidade e fim de vida pontuando dicas de como agir em cada etapa. Com isso, de acordo com estas etapas, você fará determinado investimentos em preocupações, ferramentas e táticas.

É importante saber driblar os desafios de cada momento e como criar uma estratégia para inovação.

A matriz BCG (Boston Consulting Group), por exemplo, é um conceito tradicional para definir a fase de um produto. O formato propõe que de um lado esteja o market share e do outro o quanto este mercado está em crescimento. Através de uma análise, é possível verificar se o produto está em seu momento de “aposta”, “estrela”, “vaca leiteira” ou “abacaxi”. Essas categorias são aprofundadas e exemplificadas no módulo.

Quer atuar como Product Manager? 

Aqui na PM3 nós temos como visão: tornar o mercado brasileiro de tecnologia a referência mundial em Product Management. E para fazer isso acontecer, nós levamos a nossa missão a sério: formar os melhores profissionais da área de Produto, utilizando as mais atuais práticas de Product Management por meio de casos de sucesso reais e brasileiros.

Por isso, reunimos os melhores especialistas em produto do país, para compartilhar um conhecimento linear e com cases reais do nosso mercado. Desta forma, você receberá uma formação no contexto em que atuamos, mostrando cases de quem realmente faz acontecer hoje em produto no Brasil.

Aproveite e confira já a ementa completa do curso e veja como ele se encaixa no seu momento atual de carreira.

Mais conteúdos para te ajudar a ser um(a) PM melhor:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler