20 de janeiro de 2022

Product Discovery: o que é, importância e como fazer

Levantar informações, descobrir oportunidades e propor soluções são atividades comuns do processo de desenvolvimento de um produto. Por isso, estabelecer um processo de Product Discovery, como veremos, é fundamental para que você consiga entregar a seus clientes e usuários exatamente aquilo que precisam. 

Essa abordagem começou a ganhar forma lá no início dos anos 2000. Com o surgimento do Manifesto Ágil, o design com foco em UX começou a se fortalecer, pensando na criação de um processo mais preciso e eficiente.

Mas, ainda hoje, muitas pessoas ainda estão buscando entender o impacto do Product Discovery e quais os benefícios de aplicá-lo na prática. Por essa razão, a seguir você confere um guia sobre o assunto, que vai abordar os seguintes tópicos:

  • O que é Product Discovery
  • Qual a sua importância para o desenvolvimento de um produto
  • Quando fazer Discovery
  • Quais são as etapas do Product Discovery
  • Como aplicar Product Discovery
  • Como aprender mais sobre Discovery 

Vamos aprender mais sobre Product Discovery? Então acompanhe este conteúdo até o final!

O que é Product Discovery?

Product Discovery é descobrir o que e porquê, com base nas necessidades dos usuários. Ou seja, é investigar informações, oportunidades e soluções que são valiosas para seu público-alvo, ao mesmo tempo que são viáveis para a sua empresa. É entender profundamente o problema antes de pensar em como resolvê-lo.

O principal objetivo é aprender rápido e por meio de experimentação científica, validando ou invalidando hipóteses. Consequentemente, esse processo reduz riscos, pois a sua empresa evita investir em algo que, no final das contas, não gera valor nem para o negócio, nem para os usuários.

De acordo com Marty Cagan, referência em Produto, o Product Discovery é formado por um conjunto de atividades que serve para responder perguntas sem respostas, com a intenção de mitigar 4 tipos de riscos, atrelados aos seguintes aspectos: 

  • Valor: o cliente vai comprar ou escolher usar essa solução?
  • Usabilidade: o cliente vai entender como utilizar essa solução?
  • Execução: temos capacidade para construir essa solução?
  • Viabilidade: essa solução funciona para o nosso negócio?

Leia também: Os 10 princípios do Product Discovery

Qual a sua importância para o desenvolvimento de um produto?

Houve um tempo em que desenvolver novos produtos era um processo bem mais longo e lento. A informação circulava com menos rapidez e o escopo com o qual as empresas trabalhavam também era bem fechado.

Por outro lado, com o avanço tecnológico e o poder da internet de disseminar informações com muita velocidade fez com que tudo começasse a mudar muito rápido também. Sendo assim, os métodos que eram usados anteriormente já não estavam ajudando e as empresas começaram a vivenciar uma série de frustrações, com produtos que chegavam ao mercado e rapidamente saiam de cena.

Como mostramos em um dos nossos artigos traduzidos, de tema “Por que as startups falham?”, alguns dos principais fatores que levam a esse problema poderiam ser resolvidos com um Discover. Considerando os dados de um estudo do CB Insights, podemos destacar: 

  • Mercado que não precisa daquele produto;
  • Problemas com preço;
  • Superação pela concorrência;
  • Opinião de clientes ignorada;
  • Produto inoportuno;
  • Fracasso na pivotagem. 
motivos-de-falhas-de-startups-sem-product-discovery

Por esses motivos, a grande maioria das empresas (especialmente aquelas focadas em produtos digitais) se adaptou, mudando o foco para entrega rápida de valor e construída em cima de ciclos menores.

O contato com o cliente se tornou mais frequente (principalmente com a figura do Product Owner) e toda a equipe de desenvolvimento passou a ser mais flexível e aberta a mudanças, não tão presa a seguir um planejamento inicial.

Essas mudanças agregaram valor para a equipe de Produto e hoje elas permitem a criação de produtos mais personalizados, com maiores chances de sucesso e com um retorno sobre o investimento muito mais alto também.

Leia também: Produtos digitais: como aprender mais sobre a área em 2022

Quando fazer Discovery?

O processo de Product Discovery, como vimos, é muito importante para o desenvolvimento de um produto. No entanto, também podemos dizer que não é só nesse momento que ele pode ser aplicado e, por outro lado, nem sempre ele é necessário. 

Mas, como assim?

Primeiramente, o Discovery pode ser útil em diversas etapas do ciclo de vida de um produto, mesmo após ter sido lançado e já estar em funcionamento no mercado. No caso do lançamento de uma nova feature, por exemplo, a metodologia pode ser muito útil.

Por outro lado, vale mencionar também que fazer Discovery não é algo simples. Exige um esforço da equipe e investimento da empresa, então é preciso avaliar com cuidado se realmente vale a pena gastar tempo e dinheiro.

Para definir com mais segurança se é o caso de fazer Discovery ou não, é importante questionar aspectos como:

  • O valor percebido na oportunidade é alto?
  • Qual o nível de risco?
  • Os objetivos em relação ao produto vinculado estão claros? E as vantagens?
  • Discovery é mesmo a melhor forma de validar a ideia?
  • Tenho recursos disponíveis (tempo de dinheiro) para executar?

As respostas para essas perguntas vão te ajudar a definir se deve seguir em frente ou não com o Discovery de um produto ou funcionalidade.

Leia também: Quando o Discovery cai como uma luva

Quais são as etapas do Product Discovery?

A descoberta de um produto demanda dedicação e tempo, como já mencionamos antes. Para que você entenda melhor o que isso quer dizer, a seguir você vai conferir um passo a passo com as etapas essenciais do Product Discovery:

1. Alinhamento

O primeiro passo é conhecer e entender a sua empresa em todos os níveis. É o momento de alinhar expectativas, entender o produto, os processos e definir prioridades e objetivos. 

Esse momento de clareza é essencial para que a visão estratégica do negócio se faça presente no Discovery, além de garantir a transparência entre os times, o que também contribui para que todos tenham autonomia para executar suas tarefas com mais agilidade.

2. Pesquisa

A etapa de pesquisa se constitui por uma investigação baseada em dados. É hora de levantar números que possam embasar os objetivos, identificando quais são os problemas dos usuários e quais são as oportunidades atreladas a eles.

Aqui entra também um outro conceito sobre o qual você provavelmente já ouviu falar: o de UX Research (ou User Experience Research). Essa é uma área que fica totalmente focada em levantar dados quantitativos e qualitativos sobre os usuários, executando análises em cima deles e apontando as prioridades para as etapas seguintes.

3. Ideação

O processo de ideação consiste em levantar o máximo de hipóteses possíveis para a criação do produto ou funcionalidade. Ou seja, a proposta é colocar a criatividade para funcionar e reunir o máximo de ideias, focando sempre na oportunidade e na proposta de valor que sua equipe pretende gerar.

Por isso, reúna os envolvidos em uma reunião de brainstorming e busque sair da zona de conforto!

4. Validação

É muito importante destacar o valor da etapa de validação. Ela não pode ser deixada de lado de forma alguma! Isso porque ela serve para descobrir a percepção do usuário em relação ao que foi idealizado e priorizado, definindo o rumo do processo de Discovery. 

Sendo assim, é fundamental criar um protótipo que seja o mais próximo possível do que seria a versão final do produto. Claro que a equipe também não precisa gastar muito tempo e recurso nisso (lembre-se que a proposta de Product Discovery é viabilizar uma entrega rápida), mas um protótipo pouco fiel pode comprometer a qualidade dos feedbacks dos usuários.

5. Refinamento

Caso os feedbacks sejam positivos, a equipe pode seguir para a etapa de refinamento. Por outro lado, pode ser que novas investigações e ajustes sejam necessários, o que é totalmente natural e garante que seu Discovery está em linha com o que seu público-alvo precisa.

Mas então, o que acontece na fase de refinamento? Basicamente estamos falando de um processo de transição para o que será a entrega final do produto. Isso significa estabelecer o MVP (Minimum Viable Product) e criar o roadmap, definindo a visão geral do produto e entregas.

Leia mais: MVP: o que é e como construir um Produto Mínimo Viável

Como aplicar Product Discovery?

Agora que você conhece as etapas do Product Discovery, você tem um passo a passo para aplicar a metodologia. Entretanto, na teoria tudo é muito mais fácil do que na prática. A realidade é diferente em cada empresa, que vive seu próprio contexto e exige muita adaptação e colaboração para que haja alinhamento em todas as etapas.

Dessa forma, vale citar algumas boas práticas e frameworks que você pode incorporar da forma que achar melhor, criando um processo de Product Discovery que funciona para o seu negócio e para seus usuários. 

Acompanhe quais são:

Eduque seu time

Pode ser que, na sua empresa, nem todo mundo conheça o conceito de Product Discovery. E, como você percebeu, não há como colocar isso em prática por conta própria, é preciso contar com a ajuda de uma equipe focada e com tarefas bem definidas. 

Explique o que é Discovery e tente usar uma linguagem de fácil entendimento, sem termos muito específicos e complexos. Aposte na simplicidade e apresente os benefícios do processo com clareza e objetividade.

Utilize frameworks

Existem diversas ferramentas que podem contribuir com diversas etapas do Product Discovery em sua proposta de agilidade. É claro que você não precisa usar todas (e cuidado para não perder o foco por causa disso!). 

Considerando os fatores que já levantamos por aqui (hipóteses levantadas, riscos, proposta de valor), você pode encontrar os frameworks que mais te aproximam do objetivo almejado. 

Para citar alguns, temos:

Fortaleça a cultura de produto

Outra questão muito importante que precisa estar clara para que o Product Discovery seja implementado com sucesso é: o que importa é a visão do usuário sobre o produto, não a sua ou do seu líder.

Um erro muito comum é deixar que a convicção pessoal ou de uma liderança influencie no desenvolvimento do produto. Essa percepção enviesada sobre o que está sendo desenvolvido é muito natural e pode levar à frustração por conta de um – ou mais – fracassos. 

Por essa razão, é essencial construir e fortalecer o que conhecemos como cultura de produto. Essa perspectiva coloca a visão da empresa como base para a criação da estratégia e, consequentemente, para a criação de um produto.

Em outras palavras, quando a empresa cria um ambiente onde todos têm uma visão muito clara sobre o propósito do negócio e o valor que se pretende gerar para o usuário, todos caminham na mesma direção – mesmo que ajustes na estratégia e no produto sejam necessários ao longo do caminho. 

Como Product Discovery não é um processo fixo e mecânico, mas que se molda a diferentes contextos, a cultura de produto elimina interpretações, interesses e opiniões individuais que podem desviar do propósito principal.

Implementar e fortalecer essa cultura é algo que exige tempo, esforço e resiliência. Mas é possível começar aos poucos, reforçando os valores, mostrando resultados, criando hábitos e inspirando pessoas a fazerem o mesmo.

Quer conferir um case de como começar Discovery na prática? Confira a edição do PM3 Lives com a Iris Sayuri, hoje Product Lead no Nubank:

Como aprender mais sobre Discovery 

Como vimos até aqui, Product Discovery é um modelo de desenvolvimento de produtos que se estabeleceu a partir da necessidade do mercado de acompanhar as rápidas mudanças do mundo (em termos de tecnologia, informação e preferências dos consumidores).

Considerando que as mudanças continuam acontecendo, estar em constante aprendizado é a melhor forma de se adaptar melhor a isso. Ou seja, se você quer começar a colocar Product Discovery em prática ou se quer aperfeiçoar esse processo, você precisa continuar investigando o assunto e as estratégias que o favorecem. 

Além disso, de acordo com dados do relatório “Panorama do Mercado de Product Management 2021”, uma das principais dificuldades de profissionais de Produto é, justamente, o Discovery. 42% dos mais de 1.000 entrevistados afirmaram que essa estratégia é um grande desafio. 

Isso nos mostra que muitos ainda não estão aplicando as melhores práticas de validação de hipóteses e prototipação, o que compromete o desenvolvimento de produtos que poderiam ser ainda mais incríveis. Por isso, as empresas estão valorizando cada vez mais as pessoas de Produto que se aprofundam em Discovery, já que essa é uma forte upskill.

Aqui vão algumas dicas para aprender mais:

Leia sobre o assunto

Um ótimo ponto de partida é buscar referências que te ajudem a entender melhor o mercado e aplicação do Product Discovery. Aqui estão algumas sugestões de leitura:

Faça networking

Você também pode aprender muito ao trocar ideias com pessoas que enfrentam os mesmos desafios que você. 

Converse com pessoas da comunidade de Produto e procure entender o que outros Product Managers estão fazendo para aprimorar seu Product Discovery. Participe de eventos e não tenha receio de fazer perguntas e sugestões, todos estão buscando melhorar!

Faça um curso de Product Discovery

Com o crescimento do mercado de produtos digitais e do interesse pela área de Product Management, felizmente é possível encontrar cursos específicos sobre o assunto para se especializar e se aperfeiçoar.

O Curso de Product Discovery da PM3, escola referência e especializada em produtos digitais no Brasil, é uma ótima opção para quem está procurando conteúdo aprofundado para saber tudo sobre o assunto. Além de ser o mais completo do mercado – com mais de 30 horas de conteúdo e 14 instrutores que compartilham cases reais – o curso confere um certificado reconhecido e respeitado pelo mercado. Baixe a ementa completa para saber mais!

Curtiu o conteúdo sobre Product Discovery? Aqui estão outros artigos que você pode gostar:

Autoria de:

Você também pode gostar de ler